Ilha de Santorini é um paraíso de pedra no mar Egeu

Ao chegar de ferry-boat já é possível notar as casas em tons claros em cima da colina. À primeira vista, parecem neve. Mas basta se aproximar mais um pouco para a ilha de Santorini começar a encantar ainda mais os visitantes, e o desconforto de sete horas gastas na lancha para fazer a travessia são facilmente esquecidas.

A saída do porto até as cidades que compõem a ilha já é uma aventura. Uma estrada de mão dupla estreia e sinuosa, com uma ribanceira, é dividida entre carros e ônibus, que muitas vezes param durante o trajeto para dar passagens a outros veículos.

Formada graças a um vulcão situado no Mar Egeu, a Ilha de Santorini é o paraíso para os apaixonados. E o local abraça essa ideia. Nas lojas de souvenirs, todas muito bem organizadas e com produtos belíssimos, é comum ver lembranças de casamento, com casais abraçados em imãs de geladeiras, canecas e tantas outras bugingangas.

Entender grego não é tão necessário para negociar. Com o aumento de número de brasileiros viajando pelo mundo, é comum encontrar quem fale português nas lojas e restaurantes.

Em Oia, que fica no extremo norte da ilha, há 20 minutos de Thira, pode-se ver “o pôr-do-sol mais bonito do mundo”, como muitos viajantes que por lá passaram dizem. E realmente é fantástico ver os raios do sol iluminando a parede de pedra com casas brancas, de portas e janelas azuis, e o mar Egeu abaixo.

O pôr do sol considerado mais bonito do mundo...
O pôr do sol considerado mais bonito do mundo… – Foto: Bruno Porciuncula

Só não encare nadar no Mar Egeu. Em um passeio, a guia alertou tudo, menos que a água era geladíssima. Na hora do mergulho, o frio atingiu a espinha e nadar até perto do vulcão, onde eles diziam que a água é “quente” foi duro.. para chegar lá e ver que a água só é mais morna um pouco do que antes.

Três noites é tempo suficiente para aproveitar as maravilhas da ilha, como o passeio até a caldeira do vulcão que deu origem à ilha, e ainda exala fumaça, ao Hot Spring, uma espécie de “praia” com águas quentes, e ir às praias com paredes vulcânicas em Krotiri.

Vulcão fica no meio do mar e pode ser visitado - Foto: Bruno Porciuncula
Vulcão fica no meio do mar e pode ser visitado – Foto: Bruno Porciuncula

Como ir: Do porto Piraeus, em Atenas, saí ferry todos os dias, a partir das 7h25 com destino à Ilha de Santorini. A viagem dura 7 horas, pois a lancha faz duas paradas em outras ilhas para pegar mais passageiros. A passagem custa 74 euros (R$ 296 – ida e volta).

O turista também pode pegar um avião em Athenas e chegar até ao Aeroporto Internacional de Santorini, em Thira, em 50 minutos. As passagens custam a partir de R$ 710. Do porto ou do aeroporto, há ônibus regulares que levam até as cidades de Thira, Oia e Akrotiri, com preços de, em média, 2 euros por trajeto.

Hospedagem: O melhor lugar para se hospedar em é Thira (pronunciá-se Firá), a capital da ilha e o lugar mais movimentado, com lojas, restaurantes e bares. De lá, dá para ir para qualquer 20 minutos de ônibus, ou menos, se o visitante resolver alugar uma moto ou um carro.

04

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *